REGULAMENTO DA PROVA “DESAFIO BOMBEIROS”

Capítulo I - Do conceito do evento

Art. 1º - A prova “Desafio Bombeiros” é uma competição desportiva revestida de características próprias da atividade operacional, cuja finalidade é proporcionar a disputa sadia entre os bombeiros, além de ser uma ferramenta capaz de aferir o nível de treinamento e condicionamento físico dos profissionais responsáveis pelas atividades de preservação da vida, do meio ambiente e do patrimônio, que se constitui na missão do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

§ 1º – Policiais Militares da ativa pertencentes ao Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo e representantes da ativa dos Corpos de Bombeiros Militares dos demais Estados Brasileiros e Distrito Federal;

§ 2º - Representantes dos Corpos de Bombeiros de países estrangeiros;

§ 3º - Bombeiros profissionais civis;

Art. 2º - A competição ocorrerá durante a realização do evento “Bombeiro Brasil 2017”, que será no pavilhão de exposições do Expo Center Norte nos dias 16, 17 e 18 de agosto de 2017.

§ 1º - As categorias “Civil Masculino (Competição em Duplas)” e “Civil Feminino (Competição em Duplas)” competirão no dia 16AGO17, sendo efetuada uma reunião técnica com todos os participantes às 11h00min, e o início das competições às 13h00min;

§ 2º - As categorias “Militar Masculino (Competição Individual)” e “Militar Feminino (Competição Individual)” competirão no dia 17AGO17, sendo efetuada uma reunião técnica com todos os participantes às 11h00min, e o início das competições às 13h00min. 

CAPÍTULO III – DAS CATEGORIAS

Art. 3º - Serão 04 (quatro) categorias:

I – Militar Masculino (Competição Individual)

Nesta categoria estão inseridos todos os competidores masculinos que se enquadrem na descrição do § 1º e 2º do Art 1º deste regulamento.

II – Militar Feminino (Competição Individual)

Nesta categoria estão inseridas todas as competidoras femininas que se enquadrem na descrição do § 1º e 2º do Art 1º deste regulamento. Para esta categoria a competição só será realizada caso tenham sido efetivadas as inscrições de pelo menos 05 (cinco) competidoras. 

III – Civil Masculino (Competição em Duplas)

Nesta categoria estão inseridos todos os competidores masculinos que se enquadrem na descrição do § 3º Art 1º deste regulamento. Para esta categoria a competição só será realizada caso tenham sido efetivadas as inscrições de pelo menos 05 (cinco) duplas.  

IV – Civil Feminino (Competição em Duplas)

Nesta categoria estão inseridas todas as competidoras femininas que se enquadrem na descrição do § 3º do Art 1º deste regulamento. Para esta categoria a competição só será realizada caso tenham sido efetivadas as inscrições de pelo menos 05 (cinco) duplas.

Capítulo II – Da descrição dos obstáculos da prova

Art. 4º- A prova será composta por uma sequência de 5 (cinco) fases, contendo obstáculos com variáveis níveis de dificuldade, os quais deverão ser percorridos de forma ininterrupta, no menor tempo pelo competidor, seguindo os critérios e parâmetros definidos neste regulamento.

Parágrafo único: A prova poderá ser realizada:

I - Individualmente por competidor masculino militar, que deverá completar todos os obstáculos no menor tempo possível;

II - Individualmente por competidora feminina militar, que deverá completar todos os obstáculos no menor tempo possível;

III - Em dupla masculina de bombeiros civis ou congênere, em sistema de revezamento, sendo que cada competidor deverá executar pelo menos uma das fases da competição (obstáculo), a critério da estratégia adotada pela dupla, devendo a dupla completar todos os obstáculos no menor tempo possível.

A transmissão de função para outro competidor será caracterizada pela passagem de um bastão.

IV - Em dupla feminina de bombeiras civis ou congêneres, em sistema de revezamento, sendo que cada competidora deverá executar pelo menos uma das fases da competição (obstáculo), a critério da estratégia adotada pela dupla, devendo a dupla completar todos os obstáculos no menor tempo possível.

A transmissão de função para outro competidor será caracterizada pela passagem de um bastão.

Art. 5º- Os competidores deverão realizar a prova trajando EPI nas seguintes condições:

I – Capa de proteção individual para atuação em incêndio estrutural, sem o forro interno de proteção térmica, capacete de salvamento fornecido pela organização do evento;

II - EPR sem uso de máscara facial e sem conexão de ar ao cilindro que será fornecido pela organização no dia do evento;

III – Pernas e pés poderão estar equipados a critério dos participantes, desde que estejam no mínimo trajando calção para prática de educação física e tênis;

Art. 6º - As fases da prova são as seguintes:

I - Fase 1: Subida da Torre o competidor partirá do local demarcado com pelo menos um dos joelhos tocando o solo, após a largada (sinal sonoro) apanhará uma mangueira de 2½ (duas e meia) polegadas com 20 (vinte) metros de comprimento, acondicionada em ziguezague. O competidor subirá os lances de escada da torre, que terá altura de 04 (quatro) metros, carregando a mangueira da forma que julgar melhor.  Ao atingir o topo, colocará a mangueira em local demarcado e içará uma carga composta de 02 (duas) mangueiras de 2½ (duas e meia) polegadas com 20 (vinte) metros de comprimento, acondicionadas em espiral e presas na extremidade de uma corda. Se o competidor falhar na tentativa de içar a mangueira, ou se a mesma vier a cair, tocando o chão, ele estará desqualificado, e não poderá seguir adiante. Durante o içamento o competidor não poderá subir na barra de fixação da torre, caso o faça será desclassificado da prova.  Após o içamento e a colocação da mangueira em uma caixa, o competidor desce os lances de escada e dirige-se a próxima base. É vedado saltar os degraus durante a descida, sendo obrigatório que todos os degraus sejam tocados por, pelo menos, um dos pés do competidor.  O uso do corrimão é obrigatório na fase de descida. O não atendimento dos requisitos da descida implicará penalização de 5 (cinco) segundos por ocorrência.

Para os competidores das categorias “Civil Masculino (Competição em Duplas)” e “Civil Feminino (Competição em Duplas)” a carga a ser elevada será um tambor de 100 (cem) litros com 80 (oitenta) Kg, devidamente pesado antes da competição, até 3 (três) metros de altura, haverá demarcação indicativa,  utilizando o equipamento “EVAC”, instalado no local. Os demais requisitos da prova são idênticos aos do parágrafo anterior.

II-Fase 2: Entrada Forçada -  após o término da fase 1, neste obstáculo, realizado com o uso do Kaiser Force Machine®, o competidor utilizando-se de um malho de 5 (cinco) kg, realizará sucessivos golpes em um peso de 75 (setenta e cinco) kg que desliza engastado em um aparelho metálico, até que o mesmo atinja o limite demarcado no próprio equipamento postado a uma distância de 1,5 (um e meio) metros. O competidor deverá empunhar o malho com ambas as mãos, que deverão estar posicionadas acima da marca visível no cabo. Os golpes devem atingir o peso em sua parte central, e uma marca de giz delimitará a zona dos golpes. Ao primeiro golpe realizado acima da marca limítrofe (visível pela impressão na marca de giz), o competidor será alertado pelo árbitro. A partir do segundo golpe, haverá penalização de 5 (cinco) segundos por evento. Ao término da etapa, o malho deverá ser colocado, e não jogado, na marca indicada no solo. O não cumprimento desta regra implica penalização de 5 (cinco) segundos.

III-Fase 3: Guincho mecânico TIRFOR - após o término da fase 2, o competidor deverá arrastar uma base composta por 4 tambores de 100 litros cada um, cheios de água ou areia até a sinalização. O deslocamento de aproximadamente 1 metro será pré-definido no obstáculo, sendo que todos os competidores terão a referência por meio de uma faixa demarcada no mesmo. Assim que for ultrapassada a marca o competidor poderá seguir para o próximo obstáculo. Todo o sistema de tração já estará montado e engrenado, cabendo ao competidor apenas efetuar os ciclos de acionamento, quantos forem necessários para o cumprimento da base.

IV-Fase 4: Após o término da fase 3, fará a subida em uma escada tipo marinheiro, com o equipamento autônomo nas costas, deverá subir até o topo e descer em uma escada de corda, simulando a entrada em espaços confinados sem riscos atmosféricos e deverá sair do tanque para passar à fase seguinte.

V-Fase 5: Resgate de vítima inconsciente - após o término da fase 4, partindo da extremidade da pista, o competidor deverá arrastar um manequim de 80 (oitenta) kg, utilizando-se da técnica de arrasto com, os braços do bombeiro posicionados por baixo dos braços da vítima e mãos cruzadas ou pelo menos tocando os dedos de suas mãos, estando sobre o peito do boneco, realizando o deslocamento de costas até a linha demarcatória da chegada a 30 (trinta) metros do início, onde a cronometragem se encerra após a passagem completa de todo o corpo do manequim. O manequim não poderá ser arrastado pelas vestes e é proibido o uso de qualquer meio auxiliar para o arraste. Se estas condições forem verificadas, o árbitro interromperá o deslocamento e o mesmo deverá ser reiniciado.

Para os competidores das categorias “Civil Masculino (Competição em Duplas)” e “Civil Feminino (Competição em Duplas)” o arraste do manequim será até uma linha demarcada a 10 (dez) metros do início, os demais quesitos serão exatamente os mesmos.

§ 1º: Para o caso de duplas, durante todo o transcorrer da prova, o competidor que estiver realizando a fase, não deverá abandonar seu bastão em momento algum, devendo este estar junto ao seu corpo ou ao lado deste. E na transição das fases o bastão deve ser passado de mão em mão entre os competidores.

§ 2º: Para as duplas a divisão de quem executa cada fase fica a critérios da equipe.

Capítulo III – Da arbitragem

Art. 7º - O Diretor Geral da Prova “Desafio Bombeiros” será nomeado pelo Sr Comandante do Corpo de Bombeiros assim como a equipe de Árbitros de pista, Cronometristas e Organização.

Art. 8° - É dever dos competidores acatar fielmente as determinações da arbitragem sob pena de desclassificação.

Art. 9° - Toda atitude antidesportiva, bem como uso de meios ilícitos ou tentativas de burlar as disposições deste regulamento, implicarão desclassificação do competidor, sem prejuízo das eventuais medidas disciplinares cabíveis aos Militares.

Art. 10° - O tempo máximo para execução do percurso é de 6 (seis) minutos, caso o(s) competidor(s) extrapole(m) este tempo, a prova será interrompida pela arbitragem e o competidor(es) ou a dupla automaticamente será(ão) desclassificado(s).

Art. 11° - A prova será interrompida pela arbitragem a qualquer tempo, caso se verifiquem condições em que o(s) competidor(es) estiver(em) colocando em risco sua integridade física ou de outro(s) competidor(es).

Art. 12° - Casos omissos deste regulamento serão deliberados pelo Comitê Técnico composto pela Diretor Geral da Prova e pela equipe de arbitragem.

Art. 13° - A organização reserva-se ao direito de recusar qualquer inscrição caso seja extrapolada a capacidade da estrutura do evento.

Art. 14º - Não será aceito qualquer tipo de recurso às decisões dos árbitros, por quaisquer meios que se apresentem (fotografias, vídeos, áudios, etc.)

 

wagner bertolini junior

Coronel PM - Subcomandante do Corpo de Bombeiros da PMESP